Login |  Promoções | Cadastre-se

Obrigado por sua visita! Seja sempre bem vindo(a)!
Online desde 18/09/2000
Cursos Online de Nautimodelismo - Modelismo Naval R/C
Rebocador Mite Yate Laura B Pesqueiro Artur Lancha Syntetic
Lancha PT-596
Veleiro Bruma Lancha Chris Craft Constellation Empurrador Hulk Veleiro Ncr-65 Lancha Chris Craft Kids Pesqueiro Guaruba Traineira Nauticurso Lancha Planek Rebocador Rodrigo
Mite
Laura B
Artur
AV-SC95
PT-596
Bruma
C. Craft
Hulk
NCR-65
CC Kids
Mares
Guaruba
Traineira
Planek
Rodrigo
Madeiras para modelismo Acessórios/Fittings Kits completos Fiberglass-moldes silicone

Dicas e Truques

Photo Etched / Foto-Gravados

Vamos então dar início á produção dos Foto-gravados (FG).

Notem o material necessário:
- Programa de desenho2D  (no tutorial utilizamos o QCAD –(http://www.ribbonsoft.com/pt-br/)( Fácil de utilizar e barato).
- Impressora jacto de tinta ou laser
- Folhas de acetato – para impressora a jacto de tinta ou laser

1.A - Elaboração do Artwork.
Para o método que utilizamos, baseado na película fotossensível ("Photo- resistent”- PR) da Micro-Mark, o art-work não segue o padrão normal dos métodos que se utilizam por exemplo na electrónica para a elaborar de circuitos impressos ou que se utiliza no verniz fotossensível  Positiv20.

Para este método o artwork deve ser desenhado com os seguintes pressupostos:
- As áreas a serem exposta ao ácido, áreas de queremos que “desapareçam” durante o banho de acido (etching), devem estar a preto na nossa impressão.
- As áreas que não vão ser expostas ou que não vão desaparecer durante o banho de acido (etching) devem estar a transparente na impressão.
Ver fotos abaixo.

Para o sucesso da FG é muito importante ter em atenção várias regras.
- O tamanho da FG não deve ser muito inferior a 0,5mm, muitas “fontes” dizem que pode ser no mínimo 2x a espessura da “chapa” mas nunca tivemos bons resultados com essa regra, principalmente se utilizarmos chapa com 0.15mm de espessura. Esta espessura já é valida para os casos onde seja necessário fazer ranhuras ou dobras.
- As ligações entre a pcs e a moldura devem ser objecto de análise, isto é, não devem ser nem muito grossas nem muito finas, devem ainda estar situadas de forma a que depois de cortadas não venham alterar a forma final da pcs. Sempre que possível evitar colocar as ligações em zonas curvas, coloca-las de preferência em zona rectas ou esquinas.

- Para uma FG com duas faces deve-se preparar dois artworks (copiar/colar) e colocar “miras” em ambos, vão ser muito importantes numa fase posterior.
- Se a FG tiver ranhuras que façam desenhos ou dobras devem ter-se atenção ao artwork, um deve conter o desenho pretendido a outra não, assim a chata só vai estar exposta ao ácido numa das faces dando origem aos desenhos.
- O Artwork não deve ter meio tons, só preto e branco (transparente).


1.B – A impressão
A impressão pode ser feita em dois tipos de folhas, folha de acetato para impressora de jacto de tinta ou folha de acetato para impressora a laser. O impressão a laser é melhor que a jacto de tinta, a impressão é mais opaca o que melhora os resultados da exposição da película fotossensível.

1.C- A “sandwish”
Depois de impressos os artworks devem ser cortados á mesma medida, sobrepostos, exactamente no mesmo local e colados nas duas extremidades superiores (ver foto), de forma a mais tarde podermos fazer um sandwish com “chapa”.
Aqui as miras colocadas são de grande utilidade para acertar os dois artworks.

Preparação da “chapa”

Na segunda parte deste Tutorial, vamos mostrar a preparaçãoca chapa para o banho de acido.
Esta é sem dúvida a parte mais importante na produção dos "home made" foto-gravados.

Material necessário:

- Chapa de latão de 0.3mm (espessura mais comum) do tamanho do artwork.
- Película fotossensível da Micro-Mark – Photo Resistant “PR”.
- Plastificador/Laminador – tipo plastificador de cartões.
- Folhas de papel normal.
- Dois vidros pequenos.
- Molas metálicas.

2.A - Preparação da “chapa”
Nesta fase de preparação da “chapa” para o banho de ácido, o primeiro passo é lavar a “chapa”. A lavagem é muito importante para que a película fotossensível adira na perfeição á chapa. Há várias formas de lhe retirar a gordura e outros tipos de sujidade, uma delas é utilizar uma lixa de água muito fina com um pouco de detergente, depois de bem lixada e a bilhar basta passa-la por água. Há quem mergulhe a “chapa” numa solução muito fraca do percloreto de ferro, mas com esta película fotossensível não é necessário.

Atenção á forma como secam a “chapa”, não colocar os dedos na superfície limpa, nem deixar pêlos ou qualquer outro tipo de sujidade, esta sujidade vai ficar por debaixo da película fotossensível e pode destruir a “FG” durante a corrosão.
NOTA IMPORTANTE: O PRÓXIMOS PASSOS DE SER FEITO COM O MINIMO DE LUZ POSSIVEL, ASSIM EVITAMOS ALTERAR O PELÌCULA - ESTA É SENSIVEL À LUZ

2.B - Colocação da película foto sensível na “chapa”.
O próximo passo é colocar a película na “chapa”. Devemos cortar dois pedaços ligeiramente maiores que nossa “chapa”, a película fotossensível vem protegida em ambas as faces por um plástico muito fino que é necessário retirar.
ATENÇÃO: Nos pedaços de película que temos, retirar o plástico só de uma das faces - ver fotos

As instruções da Micro-Mark aconselham a molhar a "chapa" antes de colocar a película, dizem que facilita a colocação/ajuste á “chapa”.Não há necessidade disso – vamos explicar mais tarde porquê. Simplesmente “colamos” a face da película sem plástico protector na “chapa”. Para colar a película utilizamos a mesma técnica que se utiliza para colar autocolantes sem deixar bolhas, pressionando de uma extremidade para a outra.
Depois de repetida esta operação nas duas faces da “chapa”, esta está pronta para a laminação.


2.C - Laminar a “chapa” com a película
Laminar a “chapa” é o passo seguinte.
Com a película colada nas duas faces da “chapa” e com o laminador já ligado (demora aprox.3/4 min. a dar o OK), coloca-se a “chapa” dentro de uma folha de papel dobrada.

Iniciar a laminação da “chapa”. O que é que vai acontecer? O Laminador vai aquecer a chapa e a película, selando/colando ainda mais esta á “chapa”.
Agora explicamos porque não molhamos a chapa quando estamos a colar a película na “chapa”, por mais cuidado que se tenha, acaba sempre por ficar água entre os dois, com o calor do laminador a água vai “ferver” e criar bolhas que vão destruir a eficácia da colagem feita pelo laminador. Acreditem, fala a experiência…


ATENÇÃO: AINDA NÃO PODEM ACENDER A LUZ…

2.D - Fazer uma “sandwish” com o artwork e a “chapa” laminada
Vamos fazer DUAS sandwish de “chapa” laminada.
A primeira deve ser feita com o artwork que preparamos anteriormente, colocamos a “chapa” entre as duas folhas de artwork de forma a que o desenho fique dentro da “chapa”.
A segunda é para assegurar uma exposição correcta, coloca-se a primeira sandwish entre dois vidros e fecha-se com duas molhas de pressão – Ver foto.

2.E -Expor a “chapa” laminada aos raios UV
Agora vamos “expor” a “chapa” laminada e o artwork á luz. Este é um passo simples.
Basta pegar na “dupla sandwish” e coloca-la debaixo de uma lâmpada fluorescente ou ao sol, esta película não necessita lâmpada UV. O tempo de exposição vais depender da fonte de luz utilizada, a lâmpada demora mais tempo, dá para controlar melhor a exposição, o sol é mais rápido mas não se controla tão bem a exposição.
De qualquer forma a película vai dando essa informação, com o tempo de exposição a aumentar esta passa de azul claro para azul-escuro, o azul-escuro é bom sinal, podemos parar a exposição.
Desfazemos as “sandwish”e podemos finalmente retirar o segundo plástico protector película foto-sensível.
 Temos que expor as duas faces da "chapa".

2.F – Retirar a película foto sensível da “chapa”
Agora que as partes expostas á luz já reagiram, vamos livrar-nos do resto. O resto são as partes não expostas do artwork, devem ser eliminadas para permitirem o contacto da superfície da chapa com o ácido.
Vamos preparar uma solução de Água e Soda Caustica. As regras dizem que a solução deve ser feita com 1 litro de água + 7grs de Soda Caustica. Façam uma solução mais fraca, 1 litro de água + 5grs de Soda Caustica. Porquê ???
Esta solução mais fraca, dá hipóteses de controlar melhor a dissolução das partes expostas.
Com uma solução mais forte, corremos o risco de fica sem as partes não expostas e expostas. Se isso acontecer… “Bad news”… temos que começar todo de novo.
A acção é fácil, mergulhamos a “chapa” na solução e com um pincel suave vamos passando na “chapa”, dos dois lados, claro!
A “chapa” está pronta quando tivemos partes em azul-escuro e partes em que a “chapa” está á vista (são estas que vão estar em contacto com o acido e desaparecer).
Para parar a dissolução basta colocar a “chapa” debaixo de água.

"Chapa" de latão pronta para o banho de ácido

JÁ PODEM ACENDER A LUZ…

Assim a nossa "chapa" de latão está pronta para o proximo passo.
A terceira e ultima parte deste tutorial será dedicada ao ao banho de ácido

Banho de ácido - Etching


A terceira e última parte deste tutorial é basicamente onde tudo acontece.
É neste passo que iremos colocar a “chapa” no banho de ácido e ver o nossso foto-gravado ganhar forma.

Material necessário:
- Percloreto de ferro líquido
- Tanque de corrosão –
- Molas plásticas.
- Soda cáustica

3.A - A solução.
A solução que utilizamos é composta por 50% água (200ml) + 50% percoloreto de ferro líquido (200ml), isto faz uma solução mais fraca, leva mais tempo a corroer a ”chapa” mas também é mais “meiga” …evita deformações da chapa e “over etching”. Antes do banho de ácido, devemos aquecer a solução em banho-maria, não necessita, nem deve ser aquecida directamente no fogão, quando á solução atingir uma temperatura aceitável, 20/25º, deveram coloca-la no tanque onde já temos o “aquecedor dos peixinhos” ligado.
O aquecimento da solução é muito importante, acelera a corrosão e permite melhorar detalhes nas gravações, …acreditem.
Vamos espera que a temperatura suba… para os 32/34º, o nosso “aquecedor” não dá para mais.... Ligamos a bomba de ar e colocamos a “chapa” no ácido.

3.B - O Banho de ácido
O tempo que a “chapa” vai levar a ficar pronta, vai sempre depender das condições em que a corrosão está a ser feita, com ou sem tanque, com ou sem aquecimento, com uma solução mais forte ou mais fraca, etc.
Por isso, é importante controlar a evolução da corrosão, devemos verificar a “chapa” de 5 em 5 minutos, no final do processo apertar o controlo para evitar “over etching”.
A corrosão pode ser interrompida em qualquer altura, basta mergulhar a “chapa” em água.

3.C - Limpeza final.
A “chapa” está pronta, já lhe podemos chamar grelha de foto-gravados. Agora queremos retirar da grelha a película fotossensível que nos ajudou a proteger a “chapa” durante a corrosão.
É fácil. Vamos á nossa solução de Água + Soda Caustica e acrescentamos um pouco Soda Cáustica, em menos de 1 minuto a película vai literalmente descolar da “chapa”.

…e já está, já temos foto gravuras “made at home”.

 

 

 

Estes ítens em DVD não podem faltar em sua coleção, peça já o seu!!

DVD Nautimodelismo + Aeromodelismo BrindeCurso profissional de marcenaria VOL1Curso profissional de marcenaria VOL2combo marcenaria 1 e 2Curso de fiberglass Laminação e MoldesMoldes em siliconeColetânea 1000 planos de aeromodelismo + 1500 planos elétricosColetânea de 180 planos de nautimodelismo ModernoColetânea de 200 planos de nautimodelismo antigosProjetos e manuais para submarinosSupercoletânea Apostilas, Livros e Ebooks voltados so modelismo navalModelismo em Papel Militares 2dvd de bricolagem reforma, eletrica, construção e jardinagem1 DVD e aprox. 2 Giga bytes de arquivos para modelismo em papelTudo sobre AquarísmoModelismo em Papel Militares 1

Informações

Expedição

 


Todos os direitos reservados nauticurso.com 2013
Dúvidas / Esclarecimentos

Fale Conosco